preloader

Aristóteles foi suficientemente crítico

Com 17 anos, Aristóteles partiu para Atenas, foi estudar na “Academia” de Platão. Com sua prodigiosa inteligência, logo se tornou o discípulo predileto do mestre.

Platão dizia: “Minha Academia se compõe de duas partes: o corpo dos alunos e o cérebro de Aristóteles”.

Aristóteles foi suficientemente crítico para ir além do mestre. Demonstrou sua grande capacidade de pensador escrevendo uma série de obras nas quais aprofundava, e muitas vezes, modificava as doutrinas de Platão.

A teoria de Aristóteles, de forma geral, é uma refutação ao seu mestre.

Enquanto Platão era a favor da existência do mundo das ideias e do mundo sensível, Aristóteles defendia que poderíamos captar o conhecimento no próprio mundo que vivemos.

Quando Platão morreu, em 347 a. C. Aristóteles fazia vinte anos de Academia, inicialmente como discípulo, depois como professor.

Aristóteles esperava ser o substituto natural do seu mestre na direção da escola, mas foi rejeitado por ser considerado estrangeiro.

Decepcionado, deixou Atenas e foi para Atarneus, na Ásia Menor, onde se tornou conselheiro de estado de seu antigo colega, o filósofo político Hermias.

Casou-se com Pítia, filha adotiva de Hermias, mas entrou em choque com a sede de riqueza de seu colega, em contraste com seus ideais de justiça.

Quando os persas invadiram o país e crucificaram seu governante, mais uma vez Aristóteles ficou sem pátria.

Whatsapp